Conheça o Dr. Rogério Fenile

O Dr. Rogério Fenile tem mais de 20 anos de experiência médica e atualmente exerce os cargos de médico chefe da equipe de Mastologia da Amil Saúde e também de médico assistente do Serviço de Mastologia do Hospital Pérola Byington, onde atua desde 1999.

Ele é Mestre e Doutor em Ciências Médicas pela Disciplina de Mastologia do Departamento de Ginecologia da Escola Paulista de Medicina (UNIFESP) e membro titular da Sociedade Brasileira de Mastologia. Dr. Rogério Fenile é especialista em cirurgia de reconstrução mamária, nas quais são utilizadas as técnicas de cirurgia oncoplástica.

Veja o perfil completo
Consultórios onde atende

O Dr. Rogério Fenile atende nas cidades de São Bernardo do Campo e São Paulo, em endereços de fácil acesso e com estacionamento no próprio prédio e nas proximidades.

Ligue e agende uma consulta. Nossa equipe está pronta para esclarecer suas possíveis dúvidas.

São Bernardo do Campo

Rua Mediterrâneo, 290, sala 124
(11) 4123-4262

Convênios atendidos: Bradesco Saúde, Mediservice, Prevent Senior, GreenLine Sistema de Saúde, Unimed e SulAmérica Saúde

São Paulo

Avenida Iraí, 438, sala 25
(11) 2771-6243

Convênios atendidos: Bradesco Saúde, Mediservice,
Porto Seguro e Gama

Especialidade

Além de ser ginecologista, o Dr. Rogério Fenile é mastologista e é para esta especialidade médica que ele dedica a maior parte de seus estudos e atendimentos hoje.

A Mastologia é a especialidade médica que estuda as glândulas mamárias. O médico mastologista é especialista na prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças das mamas. A residência médica em Mastologia tem duração de dois anos e a Sociedade Brasileira de Mastologia é a entidade que representa a especialidade no Brasil.

Caso você tenha qualquer suspeita ou diagnóstico de alterações nas mamas recorra a um médico mastologista.

A biópsia é o procedimento necessário antes de iniciar o tratamento de nódulos mamários. É por meio dela que o médico fecha o diagnóstico de nódulo benigno ou maligno. Após a extração do material, a análise é feita em microscópio.

O Dr. Rogério Fenile realiza vários tipos de biópsias. Quando os nódulos são palpáveis, elas podem ser de fragmento ou cirúrgica. A primeira é feita por punção, requer anestesia local e pode ser feita em consultório. Já a segunda quase sempre necessita de anestesia geral e é feita em ambiente hospitalar.

Para lesões não-palpáveis, as opções são a mamotomia ou a biópsia cirúrgica orientada. Ambas são feitas com o apoio da mamografia ou ultrassonografia para auxiliar a visualização do nódulo.

O fibroadenoma são os nódulos benignos, que geralmente aparecem em mulheres de 15 a 25 anos e que medem entre 2 a 3 cm. Ele costuma ser único, sólido, móvel, liso e indolor.

A melhor forma de identificar o fibroadenoma é por meio do exame de ultrassom ou pela mamografia. Na maioria das vezes ele não precisa ser retirado. Pode ser acompanhado, após biópsia que confirme se tratar de um nódulo benigno.

Já os cistos são nódulos intramamários que possuem líquido em seu interior. Em geral são múltiplos e bilaterais. Não apresentam sintomas e são diagnosticados pelo Mastologia por meio de toque manual, ultrassonografia ou mamografia. São divididos em simples ou complexos e podem precisar ser retirados com uma cirurgia.

A prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama estão entre os principais cuidados oferecidos pelo mastologista e o Dr. Rogério Fenile, assim como as sociedades médicas, recomenda:

  • Autoexame mensal das mamas, feito em casa durante o período menstrual, a partir dos 25 anos;
  • Exame físico anual, realizado por médico que pode ser o ginecologista ou o mastologista, a partir dos 25 anos; e
  • Mamografia anual, a partir dos 40 anos. Em mamas densas pode-se pedir também a ultrassonografia.

O autoexame e o exame físico podem detectar nódulos com pelo menos 1 cm. Já a mamografia reconhece nódulos a partir de 1 mm.

Em mulheres com maior propensão ao câncer de mama, os exames são solicitados mais precocemente. Nestes casos, a mamografia e a ultrassonografia anual serão pedidas desde os 30 anos, além da ressonância magnética mamária.

Neste grupo estão incluídas as mulheres que têm mãe, irmã ou filha com câncer de mama antes da menopausa, têm pelo menos dois parentes próximos com câncer de mama em qualquer idade ou aquelas que tiveram diagnóstico de lesões de alto risco em biópsia de mama, como hiperplasia atípica e neoplasia lobular in situ.

A hormonioterapia, a quimioterapia e a radioterapia estão entre os principais tratamentos oferecidos a pacientes com câncer de mama.

A hormonioterapia é utilizada com bons resultados em pacientes pós-menopausa. Mas o tratamento também pode ser indicado na pré-menopausa, desde que os tumores tenham receptores hormonais na superfície.

A quimioterapia pode ser realizada antes, depois ou independentemente da cirurgia. No caso de tumores avançados, a quimioterapia antes da cirurgia pode reduzir o tumor, facilitando a intervenção cirúrgica.

Quando aplicada depois da cirurgia, a quimioterapia tem como objetivo reduzir o risco de metástase no futuro. Geralmente, nesses casos, ela é aplicada em tumores de mais de 1 cm de diâmetro ou quando existem linfonodos axilares comprometidos.

A quimioterapia e a hormonioterapia adjuvantes podem ser indicadas de forma sequencial, mas não concomitante. Primeiro a quimioterapia e depois a hormonioterapia.

Já a radioterapia costuma ser recomendada, como rotina, após a remoção parcial da mama para minimizar a chance de retorno do tumor. A duração média do tratamento será indicada pelo médico, com aplicações de doses fracionadas.

Hoje ainda existe a aplicação de radiação intraoperatória, que são mais utilizadas em casos de tumores volumosos, com mais de 5 centímetros ou quando vários linfonodos estão acometidos nas axilas.

O Dr. Rogério Fenile, quando necessário, realiza intervenções cirúrgicas para tratamento de câncer de mama. Entre as cirurgias possíveis estão a mastectomia, a cirurgia conservadora e a cirurgia de reconstrução.

A mastectomia é a retirada total da mama, com pele, aréola e mamilo. Ela é a opção mais segura quando o tumor é extenso. Atualmente é quase sempre acompanhada da cirurgia de ​​​​​reconstrução mamária imediata, que oferece resultados muito satisfatórios.

Nos últimos 30 anos, a cirurgia conservadora, tanto no que diz respeito ao tecido mamário e à axila, está sendo cada vez mais empregada. A maioria das mulheres com câncer de mama em estágio I e II são candidatas à cirurgia conservadora.

Na cirurgia de reconstrução mamária são utilizadas as técnicas de cirurgia oncoplástica. Os resultados estéticos costumam ser muito bons e as mulheres que se submetem à reconstrução ganham muito na preservação de sua autoestima e autoimagem.

Hospitais onde atende

São várias as opções de hospitais em São Paulo e no ABC onde o Dr. Rogério Fenile pode atender suas pacientes para intervenções como biópsias e cirurgias.

Consulte a lista abaixo e escolha a melhor opção para você. Caso não encontre um hospital de sua preferência na lista abaixo, converse com a nossa equipe para encontrarmos uma alternativa juntos.

Dúvidas frequentes

Muitas pacientes chegam ao consultório do Dr. Rogério Fenile com dúvidas a respeito de dor nas mamas, época ideal para iniciar a mamografia ou então com medo que seus nódulos benignos se transformem em malignos. É compreensível que o assunto cause medo e ansiedade, por isso preparamos algumas respostas rápidas sobre o assunto.

As respostas a seguir são apenas para esclarecer alguns pontos importantes e não substituem uma consulta e avaliação individual feita pelo mastologista. Não deixe de agendar uma consulta para saber mais detalhes sobre o seu caso.

Dor mamária – o que pode ser?

A dor mamária pode estar relacionada a aspectos emocionais e clínicos, bem como a variações hormonais. Ela pode ocorrer no período menstrual, por exemplo, com variações entre leve e moderada, dependendo de cada mulher. De qualquer forma, é preciso afastar causas importantes e tratá-la adequadamente.

Para tranquilizar as pacientes, é importante ressaltar que apenas a dor mamária não é suficiente para diagnosticar um câncer de mama. E, na maioria dos casos, as dores estão relacionadas a doenças benignas das mamas. Agende uma consulta com um mastologista e faça uma avaliação. Esta é a melhor forma de esclarecer o motivo da sua dor. Não deixe a sua saúde para depois.

Quando devo começar a fazer mamografia?

O rastreamento mamográfico deve ser iniciado aos 40 anos e repetido anualmente. Em condições especiais, como alto risco para câncer de mama em pacientes com histórico familiar, deve-se iniciar o rastreamento mais precocemente de acordo com orientação médica.

Preciso interromper meu anticoncepcional se tenho um nódulo de mama?

Se o nódulo for benigno, na maioria das vezes não é necessária a interrupção. O mastologista irá avaliar o seu caso e indicar o melhor a ser feito. Esta é uma dúvida que preocupa muitas mulheres, pois no passado o anticoncepcional chegou a ser relacionado ao risco de nódulos nas mamas. Hoje, pesquisas já descartaram a relação entre nódulos benignos e anticoncepcionais orais (Fonte: The Million Study, UK, 2003).

Um nódulo benigno pode virar um câncer de mama?

Normalmente não, pois um nódulo maligno já inicia como tal. O melhor que você pode fazer após a detecção de um nódulo, que pode ter sido descoberto pelo seu ginecologista, é procurar um médico mastologista. Esse profissional é especialista nesses casos e irá avaliar o seu caso de forma particular, fazer o acompanhamento e indicar o melhor tratamento.

Cistos mamários são muito graves?

Os cistos mamários não são graves, mas muitas vezes provocam ou são acompanhados de desconforto e dor. Nessas circunstâncias, os cistos mamários precisam ser tratados e o mastologista é o médico mais indicado para orientar você neste sentido.

Artigos e Eventos
Contato

Para dúvidas e agendamento de consultas, entre em contato com o Dr. Rogério Fenile. Se preferir, envie uma mensagem pelo formulário ao lado.

contato@drrogeriofenile.com.br

São Bernardo do Campo
(11) 4123-4262

São Paulo
(11) 2771-6243 (agendamento)
(11) 5054-1222 (recepção)