Os cistos mamários são lesões benignas das mamas e, na maioria das vezes, a paciente não apresenta sintomas, como dor. É muito comum que mulheres apresentem um ou mais cistos nas mamas, especialmente na faixa etária entre 35 e 50 anos por conta das variações hormonais durante a vida.

Em consultório, as pacientes costumam ficar assustadas quando o diagnóstico de um ultrassom ou mamografia aponta a presença de um ou mais cistos. Não há necessidade para alarme, pois os cistos são benignos e não “se transformam” ou “dão origem” a um tumor nas mamas.

Os cistos aparecem por conta de uma obstrução nos ductos lobulares terminais, que causa acúmulo de líquido e a formação do cisto. Este líquido não é leite materno, mas sim uma mistura de água e sais minerais, que resulta numa coloração amarelada.

 

Diagnóstico de cistos mamários

Para diagnosticar os cistos mamários é necessário fazer uso de exames de imagem, como o ultrassom das mamas ou a mamografia.

Na ultrassonografia o médico consegue visualizar até mesmo os microcistos, que medem menos que 0,4 cm de diâmetro e não são palpáveis.

Os cistos mamários podem ser simples ou complexos. Os simples são bem circunscritos, têm paredes finas e conteúdo apenas líquido em seu interior. Já os complexos, bem menos comuns, são formados por massas com paredes espessas, possuem septos em seu interior e aspecto heterogênico, com características de lesão líquida e sólida.

Os cistos maiores, chamados de macrocistos, são sentidos durante a palpação das mamas e chegam a ter até 5 cm de diâmetro. Estes cistos, pelo seu tamanho, podem causar dor ou desconforto na paciente.

Apenas pela palpação o médico não consegue distinguir com certeza um cisto benigno, de uma massa sólida benigna, de um aglomerado de cistos ou de um tumor maligno. Detectando a lesão, um exame de imagem será solicitado para fechar o diagnóstico.

 

Tratando um cisto benigno

Na maioria das vezes, os cistos não necessitam de nenhum tratamento. Com exceção dos casos em que há dor ou desconforto da paciente, quando é possível fazer uma punção com agulha fina, no próprio consultório, para retirada do líquido acumulado. Em casos de cistos com conteúdo sólido, há necessidade de lançar mão de outros métodos diagnósticos, como a mamotomia ou até mesmo um procedimento cirúrgico.

Caso durante a punção de um cisto seja detectado conteúdo sanguinolento, o material será enviado para análise.

É importante destacar que, mesmo com a punção ou a intervenção cirúrgica, há chances de o cisto voltar a aparecer. Por isso, o acompanhamento, com visitas regulares ao mastologista, é essencial.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário