Os fibroadenomas são nódulos benignos e sólidos ou fibrosos que podem aparecer em diferentes partes do corpo, inclusive nas mamas. São considerados benignos por não apresentarem proliferação celular e por isso não possuem potencial para tornarem-se nódulos malignos.

Estes nódulos geralmente aparecem em mulheres jovens, na faixa etária entre 20 e 30 anos. Podem ser detectados no autoexame das mamas ou nos exames de imagem, como ultrassom e mamografia. Geralmente possuem entre 2 e 3 centímetros, são móveis, lisos, elásticos, redondos e com bordas bem definidas. Raramente o fibroadenoma torna-se volumoso a ponto de causar dor. Pode ser comparado a uma bolinha de gude que se move facilmente embaixo da pele quando pressionado.

Uma mulher pode ter um ou mais fibroadenomas nas mamas e, quando o nódulo for encontrado, deverá ser acompanhado por um médico mastologista semestralmente para análise dos próximos passos.

Geralmente quando uma paciente encontra um nódulo em sua mama, seja ele dolorido ou não, ela já demonstra grande preocupação e medo. Isso é compreensível, mas é importante esclarecer que boa parte da população feminina irá desenvolver um fibroadenoma em algum momento da vida e, na maioria das vezes, esta mulher não precisará nem removê-lo cirurgicamente. Muitos fibroadenomas acabam até mesmo desaparecendo com o tempo. Mas é preciso avaliar cada caso e acompanhar com exames frequentes no mastologista.

 

Influência hormonal no fibroadenoma

O que leva uma mulher a desenvolver um fibroadenoma? As causas ainda não estão claras, mas estudos já demonstram que esses nódulos são influenciados pelas variações hormonais em diferentes fases da vida da mulher.

 

Há indicação cirúrgica? Vou precisar fazer uma biópsia?

Quando uma paciente é diagnosticada com fibroadenoma, o médico mastologista irá avaliar se ela precisa ou não de uma biópsia. A maioria dos nódulos não irá necessitar de nenhuma intervenção, apenas acompanhamento com exames de imagem.

A biópsia será indicada quando o nódulo não possuir todas as características de benignidade, isto é, quando houver um crescimento considerável do fibroadenoma, quando houver contexto de risco aumentado para câncer de mama (mutações genéticas ou histórico familiar) e quando a paciente tiver idade de 30 a 35 anos.

Quando o mastologista conclui que o fibroadenoma não representa risco para a paciente e quando o nódulo não causa dor nem desconforto, a cirurgia não é recomendada. Nestes casos, basta o acompanhamento periódico, com visitas ao médico e realização de exames de imagens a cada seis meses. Caso alguma alteração ocorra durante o acompanhamento, o fibroadenoma pode precisar ser removido. Se nenhuma alteração for notada em um ano, o acompanhamento pode passar a ser anual, de acordo com decisão do médico.

A cirurgia é indicada quando um dos testes, clínico, de imagem ou biópsia, apresenta resultado alterado. É importante ressaltar que, mesmo após a cirurgia, a paciente pode voltar a ter um fibroadenoma. Não é o mesmo nódulo que volta, mas sim um novo que pode aparecer. Novos nódulos precisam ser avaliados novamente e você pode precisar de uma nova biópsia ou nova cirurgia.

Em casos mais graves, quando o fibroadenoma contém cistos anormais, densos ou com calcificação, pode ser que esta paciente tenha uma chance maior de desenvolver câncer de mama no futuro. Neste caso, o mastologista irá solicitar um acompanhamento mais próximos e exames mais frequentes.

Mas não se desespere antes de saber qual é o seu caso. Um fibroadenoma é um nódulo benigno, com grandes chances de ter uma solução simples. Respire e procure um bom especialista para acompanha-la, responder todas as suas perguntas e estar com você durante este tratamento.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário