Conhecer os principais fatores de risco para o câncer de mama é muito importante para todas as mulheres, independente da idade e do histórico familiar. São esses fatores que, combinados ou não, vão auxiliar o médico na hora de definir quais são os grupos de mulheres que precisam de um rastreamento para câncer de mama mais precoce ou mais frequente. Além de implicar na orientação mais específica, feita por um médico especialista, como um mastologista, por exemplo.

A mulher que apresenta um ou mais fatores de risco não terá, necessariamente, câncer de mama em algum momento da vida. Assim como o contrário também é verdade e, mulheres sem nenhum fator de risco, podem vir a ter a doença. Isso porque o câncer de mama é causado pela multiplicação de células anormais da mama, formando um tumor. São vários os tipos de câncer de mama, alguns com desenvolvimento rápido e outros mais lentos.

 

Fatores de risco imutáveis para câncer de mama

Existem fatores de risco que são imutáveis, aqueles que independem de qualquer atitude da paciente. Entre eles, podemos destacar sexo, idade e histórico familiar.

Aproximadamente 99% dos pacientes de câncer de mama são mulheres, por isso o sexo feminino é considerado um fator de risco. Na questão da idade, estudos demonstram que 80% dos casos de câncer de mama acontecem com mulheres acima dos 50 anos.

Há ainda o histórico familiar e, quando uma mulher tem pelo menos duas parentas de primeiro grau (que pode ser sua mãe, sua filha ou sua irmã) que tiveram câncer de mama, o risco de também desenvolver a doença em algum momento é maior que das mulheres sem histórico na família. Esta questão está diretamente relacionada a possíveis mutações raras nos genes BRCA1 e o BRCA2 ou em outros genes.

A exposição a radiação em mulheres que precisaram ser submetidas a radioterapia, em tratamentos anteriores de outro tipo de câncer na região torácica, também pode aumentar o risco de câncer de mama.

 

Fatores endócrinos e relacionados à vida reprodutiva

Os fatores endócrinos e aqueles relacionados à vida reprodutiva também impactam na probabilidade maior de ter câncer de mama. Isso por causa do estímulo causado pelo hormônio estrogênio, que é produzido pelo próprio corpo ou consumido por meio do uso prolongado e contínuo de substâncias com esse hormônio, como anticoncepcionais e em terapias de reposição hormonal. Falaremos mais sobre este item em um de nossos próximos artigos.

Outros fatores: mulheres que tiveram a menarca (primeira menstruação) antes dos 11 anos, aquelas que tiveram a menopausa (fim dos ciclos menstruais) após os 54 anos, mulheres com primeira gravidez após os 40 anos e mulheres que não tiveram filhos.

 

Fatores de risco mutáveis para câncer de mama

Os fatores de risco mutáveis são aqueles que podem ser alterados, isto é, podem ser anulados pela mulher com uma mudança de hábito e de comportamento. Como peso, atividade física e alcoolismo.

A obesidade após a menopausa impacta muito a saúde da mulher e pode, sim, aumentar as chances de desenvolvimento do câncer de mama. Por isso, é importante evitar o consumo exagerado de alimentos gordurosos. A prática de uma atividade física pode ajudar bastante e estudos demonstram que exercícios regulares podem reduzir esse risco.

O consumo excessivo de álcool também não faz bem à saúde e está claramente associado ao aumento do risco de desenvolver vários cânceres, além do de mama.

 

Outros fatores de risco que também merecem atenção

Mulheres com mamas densas e aquelas que foram diagnosticadas com doenças benignas da mama, mais especificamente lesões proliferativas com atipia, que incluem hiperplasia ductal atípica e hiperplasia lobular atípica, podem ter impacto também no câncer de mama e é preciso continuar um acompanhamento com médico mastologista.

Outro fator importante para se destacar é o carcinoma lobular in situ, pois as células crescem nos lobos das glândulas produtoras de leite e neste caso a mulher também tem um risco aumentado para câncer de mama.

 

Controvérsias

Alguns fatores controversos já apareceram em alguns artigos e estudos, mas ainda carecem de esclarecimentos e pesquisa. Você já pode ter ouvido falar, por exemplo, na questão dos desodorantes ou do uso de sutiã. Não existe base científica que justifique nenhuma das duas especulações.

Da mesma forma, a realização de aborto induzidos (nem os espontâneos) e a utilização de implantes mamários não estão relacionados como fatores de risco para câncer de mama.

 

O objetivo desse artigo é oferecer uma visão geral dos principais fatores de risco para câncer de mama, mas acima de qualquer coisa alertar para a importância do acompanhamento médico regular com um ginecologista ou mastologista, o autoexame mensal em casa e a mamografia anual após os 40 anos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário